Hotéis na Itália

brindisi, puglia

Brindisi, Puglia: um passeio na cidade porta do oriente

Muita gente faz de Brindisi apenas ponto de chegada ou de partida para outros lugares. De fato, é lá que fica o segundo maior aeroporto da Puglia, e também o porto de embarque para a Grécia. Mas além de tudo isso é um lugar lindo, perfeito para um passeio de um dia, como o que eu fiz.

Eu encaixei um passeio em Brindisi após ter partido de Altamura, com destino a Lecce. Queria um lugar para passear por algumas horas, sem pressa e almoçar antes de seguir viagem para o sul da Puglia. Brindisi não poderia ter sido um destino melhor!

Brindisi

 

Um pouco da história de Brindisi

A cidade tem raízes ancoradas na época romana antiga. Era uma época em que legionários, peregrinos, cavaleiros e comerciantes percorriam a histórica Via Appia, a antiga e lendária estrada romana que ligava Roma a Brundisium. De fato, este era um porto que oferecia uma conexão direta com a Grécia, o Egito e o Oriente. Daí o apelido da cidade: “Porta do Oriente”.

Ao longo de sua história Brindisi foi conquistada pelos ostrogodos e pelos bizantinos. No século XI os normandos a conquistaram e então tornou-se parte do Principado de Taranto e do Ducado da Apúlia.

A cidade voltou à sua antiga glória durante o período das Cruzadas, como um porto privilegiado que conectava a Europa à Terra Santa. Durante este período, a cidade viu a construção da catedral e do castelo. Brindisi também foi governada pelos venezianos, e posteriormente recuperada pelos espanhóis. Entre 1707 e 1734 Brindisi caiu sob o governo austríaco e, posteriormente, sob os Bourbons.

Durante a 1ª Guerra Mundial, a cidade foi muito bombardeada, visto que era um importante porto. Na 2ª Guerra novamente Brindisi sofreu com os bombardeios e seu centro histórico foi gravemente destruído.

Nos anos 90 algumas organizações internacionais reconheceram a importância estratégica do porto de Brindisi. De fato, a FAO (ONU) criou um campo em uma parte do aeroporto militar, de onde partiam ajudas humanitárias para os países do leste europeu atingidos por guerras.

Há, no entanto, um evento que ficará marcado para sempre na memória dos habitantes de Brindisi. Em 1991 um navio com 4 mil pessoas amontoadas uma sobre as outras, sem comida e nem água, atracou no porto da cidade. Eram refugiados fugindo da Albânia.

Brindisi

Dicas do que ver em Brindisi

Chegamos a Brindisi de carro e o deixamos estacionado em uma das travessas do Corso Umberto I, a principal rua do centro e que leva até o porto.

Brindisi

Logo no início fica a Piazza Cairoli, com a sua Fontana delle Ancore, o que já nos mostra, logo de cara, que Brindisi é uma cidade de marinheiros. As âncoras estão por todas as partes!

Prosseguindo pelo Corso Umberto I, chega-se à Via Garibaldi, com suas lojas e onde as famílias passeiam tranquilas, a qual nos conduz até a Piazza Vittorio Emanuele, de frente para o porto interno e onde antigamente ficava o antigo porto.

Via Garibaldi

Exatamente em frente à Piazza della Vittoria, do outro lado do trecho de mar, nos deparamos com o enorme Monumento Marinaio d’Italia, um dos símbolos de Brindisi. Ele pode ser avistado a partir de diferentes pontos da cidade.

brindisi

 

A primeira pergunta que me fiz foi: como chegar ao outro lado? Então percebi que frequentemente uns barquinhos iam e vinham, embarcando e desembarcando passageiros.

De fato, em diversos pontos do calçadão do porto de Brindisi há paradas (você as verá, são como se fossem paradas de ônibus), onde os barcos atracam e você pode atravessar. A travessia custa 1 euro.

 

O Monumento ao Marinheiro

Construído em 1933, durante a época Fascista e por ordem de Mussolini, o monumento é uma homenagem aos cerca de 6000 marinheiros mortos na I Guerra Mundial. Não é uma obra esteticamente bonita, mas lá de cima temos uma vista maravilhosa de Brindisi.

Brindisi

Na parte inferior do monumento fica uma espécie de santuário com o nome dos marinheiros mortos na guerra, divididos pela função de cada um: cabos, capitães de corveta, de fragata, oficiais submarinistas, etc.

Do outro lado fica um elevador que nos leva quase até o alto. Depois é necessário subir mais quatro andares de escada (nada excessivo) e se chega ao terraço.

Para subir, é necessário deixar um documento de identidade na entrada (são medidas de segurança que eles tomaram após uma pessoa ter se jogado lá de cima algum tempo atrás). A entrada é gratuita.

Brindisi do alto
Brindisi do alto do monumento

Horários de funcionamento: Das 9 às 13h e das 15 às 16h30 no inverno. Das 9 às 13h e das 15 às 20h no verão.

 

A Catedral de Brindisi

Construída durante o século XII e, em seguida, reconstruída após o terremoto de 1743, hoje em dia tem uma fachada neoclássica.

A Catedral de Brindisi foi lugar de muitos eventos históricos, como a coroação, em 1191, de rei Rogério da Sicília e, posteriormente, seu casamento.

Dentro há os poucos fragmentos do piso de mosaico de 1178, o coro de madeira de 1594, a pia batismal do século XVI e muitas valiosas pinturas de várias épocas, dispostas em diferentes capelas. Há também uma capela dedicada às relíquias de São Teodoro, padroeiro da cidade, juntamente com São Lourenço.

Ao lado da catedral fica uma construção incorretamente atribuída aos Templários. Trata-se do chamado Pórtico da Ordem dos Templários, mas que na verdade era dos Cavaleiros de Jerusalém.

Brindisi
A torre do sino da Catedral de Brindisi

 

A Coluna Romana

A coluna é uma das poucas lembranças visíveis que restam da Brindisi de época romana. Originalmente, havia duas colunas, mas hoje vemos somente uma delas, porque a outra é aquela que encontramos em Lecce, apoiando a estátua de São Oronzo, padroeiro da cidade.

A Coluna Romana é de mármore e tem quase 19m de altura. No capitel estão representados quatro deuses e oito tritões. No pedestal da coluna há uma inscrição que lembra a reconstrução de Brindisi após a destruição do século IX.

Além disso, estas colunas marcaram, por séculos, o fim do Via Appia, bem como o ponto de desembarque de milhares de marinheiros. Hoje em dia estão localizadas no topo de uma linda escadaria que conduz até o porto.

A base que fica ao lado, é o que resta da segunda coluna, que desmoronou no século XVI, mas cujos fragmentos intactos foram doados para a cidade de Lecce em 1659. Ainda, segundo uma lenda, no ano 19 a.C o poeta romano Virgílio teria morrido logo ali perto, depois de voltar de uma viagem à Grécia.

Uma curiosidade: a outra coluna foi doada à cidade de Lecce como agradecimento ao santo pela cidade ter sido poupada da peste que assolou a população no século XVII.

 

Templo de San Giovanni al Sepolcro

Dos numerosos hospitais e residências construído pelos Cavaleiros Teutônicos, pelos Templários e por aqueles de Malta para abrigar os soldados e peregrinos que viajavam para a cidade, este templo é um dos poucos que restam. Ele remonta ao século XI, foi construído sobre uma domus romana e tem o mesmo o modelo do Santo Sepulcro de Jerusalém. Nas paredes do templo há poucos restos de afrescos preciosos.

brindisi

O templo abre de terça a domingo, das 8 às 20h. A entrada é gratuita.

 

Outras coisas para fazer em Brindisi

Sem dúvida Brindisi é aquele tipo de cidade para passear sem grandes preocupações. O ideal é deixar-se levar pelo ritmo da cidade, sentar em um café, tomar uma taça de vinho olhando o mar. Sabe aquele ritmo de férias e descanso? Pois é esse o ritmo que tem que ter um passeio em Brindisi!

Passear pelo centro histórico

Palácios antigos, a bela catedral, becos estreitos e casas antigas cheias de charme. A melhor maneira de explorar Brindisi é caminhar por suas ruelas. O centro é pequeno e não dá para se perder.

Caminhar pelo cais do porto

O porto é onde você encontrará uma variedade de lugares para comer e relaxar. Caminhe, admire os veleiros ancorados ao longo do cais, pare para uma bebida em um dos cafés e desfrute do perfume maravilhoso do mar. Há muitas vezes uma brisa agradável, tornando-o um ótimo lugar para fugir do calor.

Brindisi

Onde comer em Brindisi

Brindisi é cheia de restaurantes charmosos, sobretudo de frente para o porto. Entrei por acaso no Antica Osteria La Sciabica, que tinha uma fachada lindinha e um menu interessante.

Brindisi, Puglia
“Sciabbiche” é o nome do antigo bairro em frente ao cais onde viviam as famílias dos pescadores. De fato, o lugar realmente lembra uma antiga vila, com seus casarões antigos, tudo colorido.

 

Assim que nos sentamos nos ofereceram um delicioso pão caseiro com uma finíssima mortadela fatiada no momento. Pedimos uma entrada mista, composta por pequenas porções de pratos tradicionais da Puglia. Na hora de escolher o prato principal, o garçom nos convidou a escolher um dos peixes da vitrine. Optamos por um polvo assado na brasa com verduras.

Serviço e ambiente ótimos, preços médio-altos mas adequados aos preços oferecidos.

 

Onde se hospedar em Brindisi

Gostaria de passar uma noite em Brindisi? Então veja abaixo algumas opções de hotéis.



Booking.com

Dicas de passeios se Brindisi for a sua base…

  • Ostuni: Perfeita para um passeio bate e volta a partir de Brindisi, da qual dista 40 km.
  • Lecce: Conhecida como a Florença do sul, Lecce pode ser um ótimo bate e volta a partir de Brindisi.

 

Como chegar a Brindisi

De avião: O de Brindisi é o aeroporto de referência para quem deseja visitar o sul da Puglia. De lá saem ônibus para o centro da cidade.

Trem: A estação de Brindisi fica no centro da cidade. Além disso, há uma boa ligação com outras cidades da Itália.

Carro: Clique AQUI e faça uma cotação de aluguel de carro. Você pode pagar em Reais e parcelado.

Gostou? Então compartilha!
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

error: Conteúdo protegido!!