Hotéis na Itália

Tuscania, a pequena Provença da Itália

Tuscania, a pequena Provença da Itália

Tuscania… não, não estou aportuguesando a palavra “Toscana”, uma das regiões mais famosas da Itália. Na verdade, refiro-me ao lindo vilarejo medieval de Tuscania, localizado a cerca de 90km a norte de Roma, pertinho de Viterbo, na parte da região Lazio conhecida como Tuscia.

Terra etrusca, a Tuscia conta sua história milenar com vilarejos de beleza extraordinária, circundados de colinas, bosques, lagos e planícies verdinhas, como é o caso de Tuscania. Certamente o lugar é uma jóia que você precisa incluir no seu roteiro, principalmente se for “subindo” de carro de Roma até Montalcino, Montepulciano ou Siena, por exemplo.

Antes de tudo, Tuscania é uma cidade muito antiga cujas origens remontam à Idade do Bronze. De fato, ela foi um dos principais centros Etruscos, como testemunham as numerosas necrópoles na área. Além disso, ela tem sido admirada há séculos por seu cenário pitoresco, paisagens de sonho, muralhas medievais, ruas de paralelepípedos e ótima gastronomia.

Tuscania
Tuscania vista da estrada que leva até ela.

 

Um passeio em Tuscania

A pequena Tuscania, com sua população de apenas 7 mil habitantes, é um daqueles lugares perfeitos para um agradável passeio de um dia.

Embora a cidade tenha sido bastante destruída após um terremoto em 1971, as muralhas medievais e a parte interna do centro histórico foram restaurados. Por isso, o vilarejo mantém ainda seu fascínio e beleza de cidade antiga.

Estacionamos ao longo das muralhas da cidade na Piazza Trieste e entramos no centro histórico pela porta principal e ao longo da Via Roma. Enfim, depois de alguns passos, abre-se uma vista maravilhosa da Piazza Bastianini, onde fica a fonte do século XVII com os quatro tritões, projetada por Mastro Antonio de Michelangelo da Cortona.

Piazza Bastianini

 

O Centro histórico de Tuscania

Ao passear pelo centro histórico de Tuscania, é possível admirar os palácios, as torres medievais, as igrejas e as fontes barrocas que o compõem. Além disso, em todos os lugares havia uma vista maravilhosa, como a Piazza del Comune, cercada por tampas de sarcófagos etruscos, que dominam a antiga fonte das Sette Cannelle, o Palácio Baronial e um trecho das muralhas da cidade.

Nosso passeio continua ao longo da Via Torre di Lavello, em direção ao parque Tor di Lavello, que segundo algumas informações, oferecia a mais bela vista de Tuscania.

A entrada do Parque Tor di Lavello. Não é que a vista é mesmo linda?

 

A partir do terraço panorâmico, podemos admirar a colina de San Pietro e todo o vale abaixo. A igreja com uma torre que vemos lá no alto do monte é a Basílica de San Pietro.

De fato, caminhar neste belo jardim público é como se perder em um pequeno paraíso, onde você também pode ver um relógio de sol e um anfiteatro. Além disso, muitas pessoas aproveitavam o belo dia de sol (era inverno, mas a temperatura estava maravilhosa).

tuscania

 

Enfim, descendo a antiga Via della Lupa, chegamos a outro importante monumento de Tuscania: a fonte das Sette Cannelle, também conhecida como Fontana del Butinale.

Ela é assim chamada porque a água sai da boca de sete máscaras. É a fonte mais antiga da cidade e foi concluída em 1309 para melhor atender as necessidades da cidade, e parece que sua fonte alimentou os banhos romanos existentes na igreja de Santa Maria Maggiore.

 

A igreja de Santa Maria Maggiore

Deixando o centro histórico, seguimos de carro até o antigo núcleo abandonado da cidade, que inclui as duas igrejas românicas de Santa Maria Maggiore e San Pietro. De carro foram 5 minutos, mas algumas pessoas vão a pé, fazendo uma caminhada de cerca 20 minutos.

tuscania

 

A Igreja de Santa Maria Maggiore já vale os quilômetros percorridos para chegar a Tuscania. A imponente estrutura medieval, construída no século XII está praticamente intacta. Destacam-se três grandes portais decorados em mármore e a enorme rosácea central a partir da qual as estátuas de Pedro e Paulo observam os fiéis.

 

A “Provença da Itália”

Tuscania é conhecida também como a cidade da lavanda, daí o fato da cidade e seus arredores serem chamados de Provença da Itália. De fato, ao caminhar pelo centrinho da cidade, logo se percebe que é a lavanda a protagonista de muitas vitrines e a base dos principais produtos vendidos.

Decoração em uma das lojinhas de Tuscania.

 

Os melhores campos de lavanda da Itália se encontram justamente em Tuscania. No entanto, não deu para visitar nenhum deles, pois conhecemos a cidade durante o inverno. Está aí uma ótima desculpa para voltar no verão.

Para quem viaja no verão, no início de julho acontece a Festa da Lavanda. Durante este festival, Tuscania fica toda decorada com flores de lavanda e ornamentos em tons de lilás. Por consequência, um inebriante perfume da flor toma conta das ruas do vilarejo.

 

Onde comer em Tuscania

Os bares mais característicos são Caffé del Duomo em frente à catedral e o Bar San Marco, ambos centrais.

A gastronomia de Tuscania traz à mente a herança etrusca da cidade. Entre as massas, experimente o “lombrichelli”, uma típica massa longa e servida principalmente com molho de tomate ou alho e óleo. Além disso, há inúmeras sopas de legumes, cremosas e aromáticas, e o famoso “acquacotta”, um prato de antigas origens rurais. Todas as carnes são excelentes, especialmente porco e cordeiro grelhados ou assados.

Por fim, seguindo algumas indicações, escolhemos almoçar no Ristorante La Torre di Lavello. Não reservamos, então tivemos que esperar bastante até conseguir uma mesa livre. Apesar da espera, valeu muito a pena. O restaurante fica logo antes da entrada do parque e a chef Romina Capoccia serve sobretudo pratos realizados com ingredientes locais.

Dois dos pratos que pedimos no Ristorante La Torre di Lavello: Primeiramente, tortinha de couve-flor, bacon e parmesão, servido sobre creme de abóbora. À direita, dados de batata com presunto de pato e trufas pretas. Uma delícia!

Onde ficar em Tuscania

Gostaria de passar uma noite em  Tuscania? Então veja algumas opções de hotéis!


Booking.com

Como chegar a Tuscania

A partir de Roma: Para quem vem de Roma, é necessário primeiro ir a Viterbo (você pode ir de trem) e, a partir de lá pegar um ônibus no terminal Riello para “Tuscania / Valentano”. Há poucos horários disponíveis, por isso verifique sempre o site da empresa Cotral.

De carro: É o melhor modo de chegar a Tuscania e foi o meio que utilizamos. Logo na entrada do centro histórico de Tuscania, na Piazza Trieste, há uma área de estacionamento com faixas azuis. Não é permitido circular de carro dentro do centro histórico. Clique AQUI e faça uma cotação de aluguel de carro. Você pode pagar em Reais e parcelado.

Estacionamento logo antes das muralhas de Tuscania.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

error: Conteúdo protegido!!